8 de abril de 2011

Esperança de um mundo melhor


Hoje eu estou de luto. Não apenas por um caso isolado, de algo inconstante, mas por toda essa balbúrdia que assola a nossa sociedade. Vivemos assustados, sem saber o que esperar da atitude do outro. Em meio a tanta desordem, escrevo estas linhas como forma de adentrar na reflexão de vocês.

Hoje estou de luto, pelas crianças que foram brutalmente retiradas das suas mães, por um ato impiedoso de alguém que usou da violência de outrora como motivo para cometer tal barbaridade e ainda por cima rogou por Deus.

Hoje estou de luto, pelo mundo adoentado por essa "peste desumana" que contaminou essa gente. Os poucos que ainda restam, refugiam-se em seu mais íntimo medo, trancando portas e janelas, torcendo para que ali o mal não faça lar.

Hoje estou de luto, pelas vítimas do tsunami e do terremoto no Japão, pelas famílias enfermas da dengue, pelo desastre ocorrido na Região Serrana do Rio, pelos sangues derramados por culpa do homem que brinca de ser Deus e está sempre chamando a natureza para uma "queda de braço", mesmo sabendo que dessa disputa sairemos sempre perdendo.

Hoje estou de luto, pela ausência dos homens de terno que adentraram a nossa política, através do voto da população, e que deveriam lutar pelos nossos direitos. No entanto, reservam-se em suas mansões e assistem de camarote a essa caos global.

Hoje estou de luto, pelo idoso desrespeitado, pelo deficiente jogado a esmo, pela falta da saúde e da educação, base de um cidadão, que se bobear nem nome tem. Estou de luto pela desigualdade social, pelo preconceito entre raças, sexo e religião. Estou de luto pela falta de luta, sem falar dos sentimentos mais lindos que hoje só vejo em filme.

Hoje estou de luto, pela tecnologia mal utilizada, pela lágrima brotada nos olhos dos brasileiros, que se pegam rezando, escorando-se na fé. E até aqueles que nem acreditam, já vi pedindo a Deus por um pouco de paz.

Hoje eu estou de luto, pelo homem, que mesmo depois de tantos anos, ainda não pensa "nas crianças mudas telepáticas", ainda não pensa "nas meninas cegas inexatas" e fez questão de esquecer de lembrar "da rosa de Hiroshima a rosa hereditária".

Hoje eu estou de luto, mas luto na esperança de um mundo melhor.


4 comentários:

  1. Todos nós estamos minha querida amiga e xará.
    Engraçado, eu também sou Vanda Ferreira =D

    Faz tempo que eu não vinha aqui, beijo grande! Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  2. Show de bola, chefinha!

    ResponderExcluir
  3. Todos estamos de luto pelas barbáries que infelizmente estamos nos acostumando a ver e sentir. O píor de tudo foi a pseudo-justificativa do infeliz. Prefiro nem comentar isso. O mundo está um lugar muito perigoso, perigoso mesmo.

    Obs: Já estava com saudades dos seus textos sempre coesos e precisos.

    Inté...

    ResponderExcluir
  4. Como o JPFOX disse, estamos nos acostumando a ver tanta destruição, e isso nos torna acomodados, a cada dia as coisas pioram mais e mais e vamos simplesmente deixando passar. Onde estão os cara-pintadas? Onde estão os movimentos revolucionarios? Onde está o senso de igualdade?
    Belo texto. Parabens!

    -----------------------------
    Se puder, dá uma passadinha no meu e diz o que achou! Aceito críticas e sugestões
    http://rabiscosaleatorios.blogspot.com

    ResponderExcluir